segunda-feira, 10 de Novembro de 2008

HISTÓRIA DA HOTELARIA





A hotelaria é uma das mais antigas actividades humanas, tendo a sua evolução sido significativa através dos tempos. Segundo consta, as hospedarias apareceram por volta do século IV a. C. Tinham como objectivo prestar serviços correspondentes às mais elementares necessidades humanas - alimentação e abrigo.
Devido à evolução, os homens foram levados a viajar para fazer negócios, daí advindo, consequentemente, a necessidade de repouso e alimentação. Assim nasceu a hotelaria nas suas formas originais.

A troca de produtos era necessária; como não havia estradas nem os meios de transporte adequados, era indispensável albergar os comerciantes que se deslocavam a distâncias que os impossibilitavam de regressar de seguida, proceder às mudas, tratamento e repouso dos equídeos, assim como proporcionar o descanso dos ocupantes e dos donos das diligências.

Os Gregos, na época, não possuíam qualquer tipo de hospedaria; como alternativa, os peregrinos desfrutavam da hospitalidade caseira, a qual foi imposta com naturalidade pelo desenvolvimento da civilização. A agricultura foi aproximando as populações e, consequen¬temente, aproximou os homens, e desta realidade surgem as primeiras hospedarias, isto é, "casa que recebe todos".

Segundo a história da hotelaria, os primeiros viajantes foram peregrinos religiosos, comerciantes e outros; com eles nasce a ideia da hospitalidade, virtude alicerçada na forma de bem receber.

Os Persas, que já contavam com um razoável sistema rodoviário, construíram ao longo das suas estradas algumas hospedarias com um certo requinte. Na antiga Roma, as hospedarias de maior qualidade eram identificadas pela denominação de mansiones; havia-as espalhadas por todo o Império. Havia também a taverna, local onde oficiais e legionários comiam e bebiam. Após a queda do Império Romano, a Europa esteve durante dezenas de anos sujeita a um risco diabólico: para se poder viajar, estava-se sujeito a uma autêntica aventura. No entanto, foi criada a Fundação da Ordem dos Cavaleiros Hospitalares, e com ela passou a existir segurança, criando-se uma série de hospitais e refúgios. Aí se abrigavam os cruzados e peregrinos que se dirigiam à Terra Santa.

Paralelamente, instituições religiosas criavam abadias e mosteiros, estes destinados também a abrigarem peregrinos e viajantes. É em Inglaterra, por volta dos séculos XVI e XVII, que começa a desenvolver-se um tipo de hotelaria, para o que contribuiu bastante o sistema rodoviário ali existente. Eram grandes carruagens, puxadas por seis cavalos, que se arrastavam pelos caminhos que cortavam a campina britânica, ligando entre si vilas e cidades. Normal¬mente, cada jornada era de 25 km, ao longo dos quais existia uma hospedaria.



A revolução industrial e ferroviária e as transformações sociais resultantes estimularam a construção de hotéis. A Inglaterra vê os seus estabelecimentos hoteleiros serem padrão para o mundo: boa comida, conforto, limpeza e acolhimento transformam-se em marca registada dos hotéis da Grã-Bretanha.

Por voltas de 1884, Theodor Baur abre em Zurique um hotel, de nome Baur au Lac; este hoteleiro, sentindo a necessidade de mão-de-obra qualificada e avaliando a importância do desenvolvimento da hotelaria, resolve o problema fundando em Ouchy, Lausana, a primeirã escola de formação de pessoal para hotelaria.

Segundo lemos não há muito, esta escola ainda se encontra em funcionamento.
Ao longo das Rivieras francesa e italiana eram construídos hotéis de veraneio, cujos frequentadores desfrutavam das melhores comodidades durante toda a temporada.

Por volta de 1720-1730, foi descoberto em York Sulphur, Pensilvânia, um manancial de águaS com características térmicas e minerais; devido a esta descoberta, começam a afluir visitantes, justificando-se a urgente necessidade de construir ali um hotel.

A construção de hotéis em zonas de atractivos naturais não se faz demorar, tais como: Cape May, quedas do Niágara, Long Branch e litoral de Nova Jérsia, lugares bastante populares na segunda metade do século XIX.

Por voltas de 1889, o hoteleiro Cesar Ritz abre em Londres o Hotel Savoy, estabelecimento que marca o nascimento de um novo conceito hoteleiro. O Savoy, considerado o primeiro hotel europeu de luxo, apresenta uma série de inovações, tais como: iluminação eléctrica, quartos com casa de banho, um boletim informativo em diferentes idiomas destinado aos seus hóspedes, etc.



No entanto, parece que foi nos Estados Unidos onde se verificou o mais acelerado e racional desenvolvimento da hotelaria. Saliente-se a grande infuência que tiveram os caminhos-de-ferro na América do Norte no desenvolvimento hoteleiro neste país. Os hotéis iam sendo construídos nas imediações das vias de caminho-de-ferro à medida que a rede ferroviária aumentava.

Em 1908, a EUsworth M. Statler abriu um hotel na cidade de Búfalo, de nome Hotel Statler.
Veriticaram-se muitas inovações nos serviços, pois os hóspedes assim o exigiam. Mais tarde, nasceu a Statler Company, talvez precursora das primeiras cadeias hoteleiras, onde foram traçados fundamentos operacionais e normas operativas. Consta que nos princípios do ano de 1954 a Hilton Company mostrou interesse nos Statler Hotel's.

Entre 1920 e 1930 construiu-se um numero de hotéis até ali nunca igualado; o incremento verificado foi além de quantitativo, pois também o foi qualitativo. Exemplo interessante se pode citar: foi construído um hotel em Chicago, de nome Stevens, com três mil quartos, dizendo-se na época que era o de maior capacidade. Mais tarde houve rumores de que tinha sido ultrapassado este número, com a construção do Hotel Rossiya, em Moscovo, com mais trinta. quartos do que o Stevens, isto nos princípios dos anos 60.
É uma realidade que houve um acelerado incremento turístico a partir de 1960. No nosso país também foram construídos novos hotéis, pousadas, motéis, aldeamentos turísticos, etc.

Nos princípios de 1980 houve entre nós a brilhante ideia de se criar o turismo de habitação.

Com ele surgiram válidos trabalhos de adaptação de casas sol arengas para este fim, e com satisfação se pode afirmar que com bons resultados.

A evolução na sociedade criou a necessidade de se viajar mais, uns devido a negócios ou com fins turísticos, outros por motivos religiosos. Podemos assim afirmar que o desen¬volvimento da hotelaria"se liga historicamente ao acta de viajar, consequentemente à existencia de uma boa rede de comunicações. É normal que dentro deste desenvolvimento haja o chamado "decrescer", quando se apresentam condições negativas, tais como revoluções, guerras, instabilidade económica ou epidemias

3 comentários:

Anónimo disse...

atenção isso tem imensos erros ortográficos

Anónimo disse...

atenção isso tem imensos erros ortograficos

Anónimo disse...

isso tem imensos erros ortograficos atenção